Será que você não está se achando muito importante?

 

estresse-mulher

Nossa! Que pergunta é essa? Calma!!!! Longe dizer que você não é importante, aliás ao contrário, você é muito importante! Mas até aonde vai esse ser muito importante?

Será que realmente o mundo não vai funcionar sem você?

Esse tipo de pergunta parece até cruel, mas não é isso o que quero dizer. Na grande maioria das vezes, principalmente nós mulheres, temos a tendência de achar que todos dependem de nós, e muitas vezes, temos comportamentos que acabam levando a isso mesmo.

Quer ver?

Quem nunca viu uma mulher recém-casada reclamando que o marido era muito mimado e não sabia fazer nada sozinho? Ah deve ter sido a mãe dele! Aliás para você que está nesta situação: o quanto você não colabora para o: “amor pega uma cerveja lá?”. Nada contra mimar o outro de vez em quando, mas precisamos tomar cuidado para não criarmos uma relação de dependência e depois sair por aí reclamando!

Ainda tem a “Síndrome da Madre Teresa de Calcutá”, aquela que ajuda sem parar, ajuda o tempo todo filhos que já precisam ter independência (sabe aqueles de mais de 30 anos, quando não 40?), se preocupa excessivamente com ex-marido, vai no salão de beleza que não gosta mais porque “puxa coitado do seu Zé dono do salão”. Apenas pare! Achar que o filho crescidinho, o ex-marido e o seu Zé vão morrer se não tiverem seu apoio é dar muito poder para você não?

É… eu sei, a verdade dói, mas o mundo existe sem você viu? E isso não é bom? Dá para relaxar!

Ninguém está falando aqui que devemos ser seres egoístas. Claro que não! Mas cuidado para não focar sua vida excessivamente na vida dos outros. Isso é cansativo e faz você se perder de si mesma.

Então que tal começar a dizer não? Faça uma experiência ao longo da semana e no final dela conte quantos “nãos” deu e como se sentiu sobre isso.

Se quiser, fale comigo para compartilhar a experiência. Será um prazer trocar com você!

Andrea Bacci

Coach de Vida e Carreira para Mulheres, Psicóloga e Idealizadora da Encontrar-se Mulher.  O meu papel é auxiliar a mulher no encontro de si mesma. Desta forma, ela poderá compreender em primeiro lugar aonde quer chegar, tanto na carreira como em sua vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *